domingo, abril 03, 2011

"...BABY, YOU AND ME GOT A GROOVY KIND OF LOVE..."

Phil Collins, Groovy Kind Of Love.


"...any time you want to

you can turn me on to

anything you want to

any time at all

when I kiss your lips

ooh, I start to shiver

can't control the quivering inside..."






Chove... os vidros do carro manchados por gotinhas finas, geladas, a lente dos óculos manchadas por gotas pesadas, quentes. Não há motivo pra se deixar levar pelo clima cinza lá de fora, mas o coração pesa e é melhor estacionar. Ela não consegue tirá-lo do pensamento, os poucos quilômetros de distância parecem um abismo, instransponíveis. Ela olha para o telefone, vê a foto dele na tela e sorri. Tira os óculos, seca o rosto, liga o carro, volta a guiar, segura. Lembra daquele sorriso lindo que vai estar sempre esperando por ela, no fim da estrada. Imagina suas vidas, dali pra frente e sonha, sonha acordada com o calor do corpo, com a voz, com o cheiro dele, com as covinhas pra sempre, do seu lado.

(in)ternas

3 comentários:

Brunno Grego disse...

T'amo...

Geovani Moura disse...

Postagem muito boa a qual passa a ideia ao leitor de uma reflexão do EU pessoal .

***** Tia Bete ***** disse...

Olá, boa noite!

Passeando no meu blog nem sei como vim parar no seu e as 2 últimas poesias que li aqui foram tão bem escritas que me carregaram de emoção em um cenário de saudade ora de si ora do outro colocado de uma forma tão leve que me arrisco a dizer que nunca havia lido um texto tão bonito e tão carregado de significados.

Parabéns! Gostei muito do que li!!!

Bete.