segunda-feira, novembro 07, 2005

Pra você

Suas palavras são como seda
Tocam a pele
Sentido de perfeição
Textura que se descobre
E me perco por tantos desvãos
Fonte de inspiração
Meu confessionário
Minha tradução
Espelho do meu espírito
Ele é leve
Mas não consegue ser fugaz
Doce, lúdico, os adjetivos que tiverem de ser
A suavidade que precisa ter
A graça de quem sabe falar
E prender minha atenção
Me desnudar em seus versos
E, por alguns instantes, ser meu biógrafo
Ser meus olhos e minha boca
Ser meu, por assim dizer...

2 comentários:

Tiago disse...

Ah, não tenho muito o que dizer além de fantasticomenal!!!
Adoro o que você escreve e ADOROTE também!!!

Felicidades e força sempre!!!
Beijos...

andré disse...

Que que eu posso dizer?
me pegou desprevinido. sem reação até o momento...acho q a última quadra do meu último texto, sem ates eu saber q vc tinha escrito isso, se encaixariam aki no comentário.
então, eu repito!

"Mas foi depois de ler o teu email
Que me animei a escrever bastante.
Deixei de ser sujeito alheio
Pra me tornar gente importante."