quinta-feira, janeiro 12, 2006

Da Janela

Palavras refletidas nos DEVANEIOS desse rapaz...


Ah, poeta...Quanto esperei-te à beira de minha janela!
Quanto sonho deixei pra você descrever!
Vesti-me de festa pra te olhar de longe...
Por que tão distante estava o teu olhar?

Quanto de poesia ficou no meu olhar!
De devoção e saudade ao te ver passar
Com qualquer uma a toda hora,
Pra preencher o vazio que só eu posso sanar...

Ah, menina dos cabelos cacheados,
De olhos tão rasgados
Que me fazem transpirar!
De tão longe eu fiquei...
Novo ângulo criei
Pra poder te admirar.

Em minhas lascivas poesias,
Um tanto de melancolia
Fez molhar o seu olhar.
Menina. Tão nova e tão bela
Que, pousada na janela,
Conseguiu me conquistar.

Ah, poeta...
Nem me fale
Que desfaleço, assim,
De emoção;
Que não me seguro e me desfaço
Te prendo aqui, nessa canção!

Rapaz garboso, sorriso alvo.
Meu desejo desde sempre!
Se soubesse da tua cobiça
Carregaria-te não só em pensamento.
Serias meu neste momento.
Por que deixaste o tempo passar?

Ah, menina tão moça,
Do corpo frágil que até parece louça!
A alma de poeta me impediu.
Não fiquei preso só a uma,
Mas a qualquer uma
Que na vida me surgiu.

Ainda por cima, quis o bom Deus
Impedir-me de seguir com minha verdade,
De retribuir-te carinhos como os seus,
Pois tu tinhas pouca idade.

E agora, que és mulher,
Tenho medo de lhe dizer
Que a quero como ninguém a quer.
Fico louco só de ver...

Então, desça da janela
E revele sua graça!
Quem sabe assim, eu desfaleça
e a beije em plena praça...

Meu poeta, assim, só meu...
Dono dos olhos, dos cachos e tudo o mais...
Abraça-me de verdade!
Mata logo essa vontade!
Faz-me tua, por favor!

Lá vem a chuva, e nossa benção
Pra curar as feridas que tanto tempo abriu.
Sou mulher, sei o que quero
E me é caro o teu apreço.
Faz-me feliz!
Dê-me a mão!
Que dessa janela eu desço.


Pet e Artemis



6 comentários:

Lubi disse...

Escrever com André é coisa muito fácil... Ele tem uma cabeça perfeita e tece as palavras com tanta naturalidade que me embaraço nesse meu exercício de pôr em papel o que bate aqui dentro...
Também adoro a maneira como você escreve... Tudo tão bonito!
Tenha um lindo dia, querida, com muito calor e alegria!

Beeeijos!

André Luiz Viannay disse...

devemos fazer mais vezes. eu gostei muito do resultado. dava até pra não parar, não terminar ali....!
:)
beijos!

Artemis disse...

HAHHAHAHHA

Quando digo que esse moço é meu espelho...

Deu vontade de não parar, mas nós dois doidos já terminamos isso tarde da noite, eu não queria ficar alugando o André!

É, espelho meu... Quanta semelhança em dois sujeitos tão diversos!

Beijocas!

Rafa disse...

"Artemis e Pet

Espelhos que se atraem,
Figuras mitológicas, deuses sentimentais
Mitos longínquos que se remetem,
Se adequam, se referem, se atentam
Pro óbvio, o querer..."

e aí, ficou bão? fiz agora, hehe...

Tiago disse...

Saudações do seu amigo sumido!

Passei pra dizer que com uma dupla destas, o infinito é o limite!
Neste caso, um é bom, dois fica bom demais! rs
Espero ver mais vezes parcerias de palavras tão belas quanto as de vocês!!!

Felicidades e força sempre pra vocês!
Beijos mocinha! ADOROTE

Deby disse...

Oi, gurua querida!!! eu tava morreeeendo de saudade!!! muito bom poder te ler todo dia de novo... senti falta...
a poesia de vcs ta linda!!
bjok bem grandona!!!