terça-feira, fevereiro 07, 2006

Chave...

"...EU PULO A JANELA. SERÁ QUE EU TÔ TRANCADO AQUI DENTRO? SERÁ QUE VOCÊ TÁ TRANCADO LÁ FORA? SERÁ QUE EU AINDA TE DESORIENTO?..."
Ana Carolina em Trancado




A senha é a chave. Girando na fechadura, trancando do lado de fora o que nos resta de controle, e sanidade. O que resta aqui dentro é desejo. Fúria e folia, descontrole, imprudência e insensatez. Insensatos que saciam sentimentos brutos, urgentes, crus...
Urgência que nos turva a visão e tapa nossos ouvidos. E nos transforma em tato, só. Algum olfato, de certo. E muito paladar. Reconheceria cada milímetro de teu corpo pelo gosto, e é recíproco, claro que sim!
A chave é a senha. Girando na fechadura, abrindo caminho para a realidade, mostrando o seu caminho para casa, deixando um gosto amargo em nossas línguas. Seus olhos vão me procurar, ansiosos, vão me encontrar, compenetrada. Vão pedir um sinal, entendido. Vão sorrir com a compreensão.
E, novamente, você vai reconhecer seu porto seguro, meu Jardim Das Delícias. O portão do meu Éden: nosso amor, do nosso jeito. Sentido por quem se permite sentir.






*como não pensar?*

4 comentários:

Edilson Pantoja disse...

Um jardim e tanto, se se permite tê-lo. Muito bom!

André Luiz Viannay disse...

Como se a gente tivesse seguindo um roteiro em que cada um escrevesse da maneira que costuma.
foda!!!!
espelhão esse!!!
hehehe
bjs

Lubi disse...

rs...
Perfeito!
Por isso, venho aqui!
Escrevi essa música como comentário pro blog do André...

Beijos!
Ótima noite!

Elvis disse...

Desculpe mas, meu vocabulário fica pobre neste momento e não tenho palavras para me expressar. Acho que não foi criado ainda um adjetivo à altura, e que possa definir tamanha perfeição.
Meu jardim das delícias são essas coisas lindas, puras e verdadeiras que você escreve.