domingo, fevereiro 26, 2006

Isso não deve ser assim, tão ruim...

"...FESTA ESTRANHA, COM GENTE ESQUISITA. EU NÃO TÔ LEGAL..."
Legião Urbana em Eduardo e Mônica




Sou um corpo estranho dentro da minha alma. Sou alguém que não conheço, num corpo que não é meu. Me descobri, hoje, fotografia desbotada, sombra do que vivi... E renego. Rejeito cada pedaço de pensamento que se forma nessa mente mesquinha, solitária, fria, marginal...
Sou um caco de espelho quebrado pelo copo que arremessei. Dividida em e por ira, ou egoísmo, ou qualquer coisa que eu não sabia carregar em mim. Sou consequência de extravazar o que senti, o amargo que não se vai adoçar. Sou o que rompeu com harmonia, o que não quer repactuar, o que incomoda, fere, destroça os sentimentos vãos. Sou só o sal da lágrima que brotou para lavar o rosto e ferir o orgulho, pra provar que nem sempre é bom ser bom, ou justo. E que justiça é pros que conseguem se manter de pé.
Sou sussuro de poesia indigente, traço de falência de identidade, sou o grito por socorro que morreu na garganta. O que nunca vai se fazer ouvir. Sou verso e verbo, e sou nada do que quis ser. Tenho nada do que quis, tenho nada do que sonhei. Nem tenho sonhos, de tanto que perdi.





*lágrimas*

3 comentários:

Cassita disse...

Eu não concordo...
Você esqueceu de dizer que é grande, bem grande e que passa por cima da falta de coisas e de sonhos, tão rapidamente....que cria novas coisas e sonhos para você diante daqueles que não deram certo.

Lubi disse...

Senti algo estranho ao ler esse seu texto... Um nó, pó na garganta...
Concordo com Cassita... Você é uma pessoa extremamente especial, tanto que nem preciso conhecê-la realmente para ter certeza disso...
Fique bem!

Bijos!

Mah disse...

tou ficando assustada.

é de uma tristeza absurda, vc faça o favor de secar essas lágrimas e levantar a cabeça.